03/03/2017

Cada vez mais

Incomoda-me a escrita musculada, demasiado trabalhada para parecer complexa, cheia de parêntesis e palavras excessivas. Resisto cada vez mais a textos incapazes de se adequarem à conversa que têm comigo, como se se imbuíssem de uma superioridade professoral enfadada pela minha ignorância. Diminui-me a paciência para a pseudo-intelectualidade. Fujo-lhes. Cada vez mais. Mas mergulho com todo o prazer nos textos aparentemente simples, inteligentes e cultos, que me desconcertam com a palavra certa, no lugar certo. Sabem sempre falar-me do que desconheço, com a sabedoria dos velhos, humildes. Procuro-os. Cada vez mais.

12 comentários:

  1. O quanto eu a compreendo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que seremos muitos assim. :)

      Eliminar
  2. Tens toda a razão no que dizes Carla, também a mim, me afligem os textos peseudo-eruditos que, espremidos, nada dizem.

    Bom dia pa TU

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que projectam uma imagem dos seus autores que se esboroa em segundos.

      Boa tarde pa TU ;)

      Eliminar
  3. Posso procurar contigo? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes. Traz uma lanterna, eu levo a lupa. ;)

      Eliminar
  4. O Ponto Pé de Flor em vez do ponto
    de cruz tão elaborado e tão sem graça

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é que não sejam ambos bonitos e importantes, mas como eu sou simples, escolho sempre o menos complicado. ;)

      Eliminar