19/01/2017

Voltar

Voltar ao lugar onde vivo e não o sentir como a minha casa. Faltam-me os armários que começo a decorar e as portas que já não me engano em abrir. Voltar, querendo ficar. Deixar para trás um futuro que se vai escrevendo com paciência, em todos os recantos. O sol a espelhar-se no rio, a janela aberta, o calor cá dentro. Voltar, contando os dias que faltam para regressar. Inventar razões só porque é preciso suspeitar da distância. Planear, desejar, falar muito do que se quer. Suspirar sincronizadamente e analisar todas as variáveis, pela enésima vez. Apertar mãos, distribuir beijos, decorar nomes. Pertencer. Voltar ao lugar onde ainda não vivo e senti-lo já como a minha casa.



8 comentários:

  1. Que sejas feliz, Carla, nesse lugar!

    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até agora, não me posso queixar. :)

      Beijinho, Maria!

      Eliminar
  2. E é tão bom quando encontramos um lugar assim! ;)

    ResponderEliminar
  3. Não falta quase nada para esse lugar se confundir definitivamente com a pertença. É só questão de mais um suspiro sincronizado. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais um suspiro, mais um tempinho... está quase lá. :))

      Eliminar
  4. Isso é bom :) gosto das cores e das flores do teu voltar.

    ResponderEliminar
  5. Que sejas imensamente feliz nesse teu novo lugar. Vai ser o TEU lugar.

    ResponderEliminar