17/01/2017

Contra o expectável

Precipitadamente, julguei que estaríamos acima daquele sentimento tão estranho chamado sofrimento. As despedidas eram sempre um até já, ainda que estivessem à distância de muitos dias. Cada viagem, a antecipação do regresso a casa. Embrulhávamos a vontade no manto racional de ter de ser assim mesmo, aconchegada na alegria esperançosa de faltar pouco, muito pouco. Até ao dia em que as zonas neutras deixaram de existir e todos os espaços conhecidos deixaram de ser meus e teus e passaram a ser nossos. 



Karin Boye

4 comentários:

  1. Nesse dia tudo é perfeito ou caminha para isso!

    Boa noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade. Mesmo que haja um pouco de sofrimento pelo meio. :)

      Eliminar
  2. É curioso como por vezes nos surpreendemos… diria que o “sofrimento” é a confirmação do quão bom é tudo o resto ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo! Prova que o relacionamento está vivo! :))

      Eliminar