21/12/2016

O que farei quando este blogue afunda?

«escrevo para dizer o que não pode ser dito»
Ana Hatherly


Foi assim que tudo começou e porque tudo começou. Havia tanto para dizer e nenhuma margem para o fazer. Por razões que não se explicam com lógica, de alguma forma, a impossibilidade do falar ia-se repetindo num contínuo extenuante. Até agora. Tudo se pode dizer, sem medo, sem pensar. No momento em que apetecer, como se quiser. Dizer sempre, calar nunca mais. 
Por isso, este blogue está em risco, porque eu só sei escrever o que calo. Não havendo mais nada a calar, que escrever? Pode ser que descubra. Pode ser que não. Talvez 2017 traga ideias novas. Ou a eliminação definitiva.

24 comentários:

  1. há sempre qualquer coisa. :)
    se fores embora eu vou ter muita pena.
    feliz Natal, Rapariga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa «qualquer coisa» é que me anda a escapar. :)
      Feliz Natal, Laura!

      Eliminar
  2. Se nada tiveres para dizer será bom sinal, tudo correrá dentro daquilo que queres!

    Boa tarde Rapariga Simples

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só sei falar das minhas desgraças, quando elas diminuem, diminui o que dizer.
      Acho que até é bom! :)

      Boa tarde, Moonchild!

      Eliminar
  3. Livra-te. O teu blogue é um precioso. Pelo menos desde o primeiro dia que o li e linkei no meu. Continua miúda!!!! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que vou começar a escrever sobre o Glorioso. Sempre era uma mudança! ;)

      Eliminar
  4. Minha querida, todos sabemos que essas coisas são cíclicas e resolvem-se esperando que passe. Beijinhos p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois são, pois são. Conheço-as bem, mas aborrece-me que haja tanto sobre o que falar e eu sem nada que vestir, digo, dizer. :)

      Beijinho, Cuca!

      Eliminar
  5. às vezes é olhar diferente :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, ana, acho que é mesmo por aí.
      O meu problema será ter passado demasiados anos a olhar para dentro e agora não estar certa se consigo olhar para fora. Tenho de sair da minha zona de conforto e deixar de ser piegas. :)

      Eliminar
  6. eu também já pensei várias vezes em fechar o meu, uma vez estive semanas sem nada escrever.
    mas depois regresso. por vezes nem sei bem por que razão, mas regresso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, a vontade de escrever vem assim sem se saber de onde. Preciso de férias do blogue, parece-me bem (até porque tenho dois livros lindíssimos para ler a meias ;).

      Eliminar
  7. Podes sempre tornar o blogue outra coisa, Moçoila.

    Tanto podes escrever sobre o gostas muito como sobre o que não gostas nada. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essa coisa, Luís, que me foge!
      A ver se 2017 traz uma inspiração súbita. :)

      Eliminar
  8. Carla, tenho para mim que, excepto o que temos que cumprir por obrigação, só devemos estar nas "coisas" enquanto nos fazem sentido. Também há decisões que, como eventualmente será esta do rumo do blogue, não têm de ser tomadas de afogadilho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, melhor deixar passar as festas, ver como corre e depois decidir.
      No fundo, tenho pena do abandono a que este espaço anda sujeito. A minha Rapariga foi uma boa companhia, seria uma pena deixá-la ir.

      Eliminar
  9. quem sabe 2017 seja próspero em ideias e soluções e entre elas encontres o caminho a seguir :) seja qual ele for, muitos estão contigo... ainda vou pensar se vou :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar o caminho a seguir é largar a preguiça, atirar-me a outros textos e deixar-me de mimimis. :D

      Eliminar
  10. Junto me ao coro de protesto.

    Certeza, em 2017, vais escrever sobre o que vês, ouves, sentes e te rodeia, e não apenas sobre o que calas.

    Não nos prives de ti. Sendo certo que não devemos perder tempo com o que nada nos diz, life is too short.

    Reflecte, não decidas rápido. ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso custa tanto, CC!
      Se calhar vou continuar a postar músicas lamechas e poemas de arrancar suspiros, até novas ideias. :D

      Uma beijoca

      Eliminar
    2. Nem penses em fugir!
      Deves-me um autógrafo!

      Relaxa, aproveita as festas :)

      Eliminar
    3. Pois devo!
      (espero que seja só o autógrafo e não o valor do livro ;)

      Temos de marcar esse assassinato do objecto impresso.

      Eliminar
  11. É natural que te sintas estranha frente a esta tua casa que sempre recebeu os teus desabafos menos felizes. Sentes-te estranha porque já não tens desabafos desses para deixar aqui.
    Só tens de interiorizar que o rumo da Rapariga Simples pode ser outro. Diferente, é certo. Mas não necessariamente menos valioso.
    Aproveita este tempo de férias para aliviar a cabeça. Para reorganizares a forma como vives o mundo. Acredito que, depois disso, voltarás a saber o que escrever por aqui.

    Boas festas! :)

    (ei! sou a Mam'Zelle em modo incognito...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão sábia, Mam'Zelle, em analisar a situação.
      Estou no tempo da adaptação e isso custa. O certo é que depois das férias, as ideias voltaram, ainda que tímidas. :))

      Eliminar