22/09/2016

Precisava mesmo disto!

Da última vez que escrevi sobre isto, acabei a escrever um livro. Ainda assim, preciso arriscar e voltar a dizê-lo: preciso mesmo de me apaixonar. De preferência, sem muitos dramas, nem malabarismos desnecessários, uma convivência simples e despojada. De preferência, por alguém minimamente são da cabeça e das ideias que, no mínimo, gostasse de mim da mesma forma -- a minha vida já teve ficção que chegasse.


Sheila Metzner - The Kiss, Fendi, 1986

14 comentários:

  1. Carla, primeiro quero dizer-te que já partilhei no Google+... Alargo o teu leque de possibilidades, portanto. :)
    Olha, não sei se tens noção que esse conjunto de requisitos, básico de uma rapariga simples, pode-se revelar o suficiente para pôr um gajo a fugir... "Estás a pedir muito!", podes ouvir.
    De facto tu estás a pedir tudo! E se pensasses menos no preceituado... Sei bem o que digo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é ele ter de ser são da cabeça? Não seja por isso, pode ter a sua pancada (assim como assim, já estou habituada ;).

      Se assim for, os exigentes serão eles. Ofereço uma vida sem complicações - não é o sonho americano de qualquer homem? :)

      Eliminar
    2. O busílis da questão está aqui: "... que, no mínimo, gostasse de mim da mesma forma."
      Já reparaste que isto, esta compatibilização, é o mais difícil?

      Eliminar
    3. Se não for assim, não vale a pena.
      Mesmo sabendo que há alturas em que um até possa gostar mais do que o outro, se for sempre o mesmo, desgasta.

      Eliminar
  2. Carla, cuidado! A paixão é uma invenção esgotante.

    https://www.youtube.com/watch?v=wf5RxWuhjkM&feature=youtu.be

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade!
      Daí preferir que ele seja, desta vez, minimamente são. ;)

      Eliminar
  3. Li o que escreveste e a primeira coisa que pensei foi: ”I know the feelling” (sim, às vezes penso em inglês).
    Não pareces estar a pedir muito mas não posso deixar de apontar que o conceito de “são” é subjectivo (acho eu). Quanto à “reciprocidade” a Isabel já disse tudo (ou quase).
    Embora não julgue que dependa disso (por falta de outra coisa melhor para dizer) desejo-te sorte para que esta tua “necessidade” se concretize. :)
    Agora tenho de ir ler o teu livro para ver onde este pensamento te levou da última vez. ;)

    Beijinho,
    FATifer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O «são» é relativo e claro à medida da minha definição.
      Como o defino? Pois, o interessado vai ter de perguntar. :)

      A reciprocidade pode nem acontecer ao mesmo tempo - concedo que haja dias em que um acorde sem sentir que está num relacionamento -, mas se não houver um mínimo, se o relacionamento for com um a dar dar dar e com outro a receber receber receber, então não é um relacionamento, não se está a construir nada, apenas um vive às custas do investimento emocional do outro. Tem tudo para correr mal.

      Mesmo que não se concretize, não há-de vir mal ao mundo por isso. :)

      Eliminar
    2. (Eu tentei, fiz um esfoço para conter a vontade de responder mas não consegui…)

      Fiquei a imaginar a cena, alguém chega ao pé de ti e diz: “então e eu sou “são” segundo a tua definição?”

      :)

      Não vou sequer colocar em causa a necessidade de reciprocidade num relacionamento. Agora a forma como ela poder ser percecionada de um lado e de outro e por quem está de fora isso já é outra conversa! (sim estou só mesmo a “mandar bocas” para não concordar totalmente contigo)

      Se dizes que é algo que “precisas”, existirá algum “mal” no teu mundo caso não se concretize, certo? :P

      Beijinho e bom fim de semana,
      FATifer

      Eliminar
    3. Não se podem conter os comentários! Diz que faz mal à barriga (ou será outra coisa?).

      E não foi uma cena bonita? Está dado o mote para um romance todo ele de baixo teor calórico.

      A percepção de terceiros pode até nem ser a mais importante, até porque um relacionamento é a dois, não a não sei quantos. ;)

      Preciso de me apaixonar como preciso de um par de sapatos novos. E olha que, pensando bem, até preciso mais dos sapatos. :D

      uma beijoca e bom fds também para ti

      Eliminar
  4. Bom... ao menos foste 100% sincera no que pedes. Isso é bom. Não duvido que a seu tempo vais ter mais que o que desejas. Quando menos esperares, "ele" vai aparecer e dar-te tudo.

    Quanto a mim, e aqui que ninguém nos ouve, estou chumbado no "minimamente são da cabeça e das ideias" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo que demore o meu tempo, acabo sempre por dizer o que penso ou sinto, mas não seja escrevendo. :)

      Não te esqueças que há ali um «minimamente» e esse inclui não ser cruel para pessoas e/ou animais, respeitar opiniões e decisões de terceiros, por aí. Não quer dizer que tenha de ser um modelo de perfeição ou acertar em tudo, tendo em conta que o juízo se esqueceu de passar pela minha porta... :)

      Eliminar
  5. O "minimamente" está certo. É que o amor, se não for um tanto louco... :)

    ResponderEliminar