02/06/2016

Lembranças dos dias bons

Meu amor de longe - Raquel Tavares


Começava uns dias antes. As mãos tremiam e transpiravam, o coração acelerava, o estômago contraía-se de nervoso. A roupa era escolhida, o itinerário, as refeições, tudo pensado ao pormenor. Na véspera, dormia mal, em deliciosa antecipação. No dia, o cabelo era cuidadosamente lavado e a pele borrifada pelo perfume que lhe dera. Era sempre assim, quando ele vinha. Ou quando ela ia lá.

3 comentários:

  1. Verso, reverso e anverso do caminho do amor.

    (esta é de certeza a semana da nostalgia blogosferica)

    Um abraço para lá e para cá

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curiosamente, ainda não tenho explicação para isto, estou a ser afectada por uma nostalgia boa, sem amargura, sem mágoa.
      Daquela que sentimos quando olhamos para as fotos antigas e dizemos com ternura «olha como eu era!». :)

      Outros - nos dois sentidos :)

      Eliminar