04/04/2016

Podia ser tudo muito passional

Podia ser tudo muito passional. Faces afogueadas, roupa em desalinho. Palavras gritadas na fúria frustrada, talvez uns estalos, uns apertões. Podia haver acusações infundadas, talvez umas lágrimas, as explicações que de nada servem, Podia ser assim. Podia levar-se nos bolsos o eco das perguntas repetidas, desesperadamente repetidas, como estranho consolo nas noites pardas, a adoçar os travos amargos. Não costuma ser assim. As faces sempre pálidas, a roupa composta. Não há palavras, nem ditas, nem gritadas, muito menos repetidas. Há o silêncio asfixiante e a distância que cresce até ao esquecimento. Há uma esponja que apaga tudo, menos a desilusão. É assim que costuma ser. Tudo muito frio, tudo muito racional.

banishedfromcamelot:

Photo by Yo Vo
Yo Vo

14 comentários:

  1. Somos todos diferentes e todos iguais.

    Mas pelo menos espero que saibas "nadar", Carla.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esbracejo! Que é como quem diz, nado à cão. :)

      Eliminar
  2. Devia ser tudo muito passional. Tenho tanta saudades de fazer uma fita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As únicas que faço é comigo mesma, em frente ao espelho, repetindo «estúpida, estúpida!». Da próxima vez, vou experimentar dar-me um estalo. :D

      Eliminar
    2. Isso nunca! Eu consigo sempre convencer-me que não tive culpa nenhuma.

      Eliminar
    3. Pois eu acabo sempre a convencer-me do contrário.

      Eliminar
  3. Ser tudo mais passional é sempre mais esgotante :)

    (não gosto da indiferença que vai ficando)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não o ser também o é. :)

      (eu também não)

      Eliminar
    2. Eu não gosto nada é da desilusão...

      Eliminar
    3. É o custa mais a engolir.
      Nem com os meus doces lá vai. :)

      Eliminar
  4. Mágoa. Fica tanta mágoa junta que sufoca o resto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o problema das coisas mal resolvidas.
      E das desistidas.
      E das silenciadas.

      Há um medo muito grande das palavras, de, pelo menos, deixar assente que o assunto acabou e cada um ir à sua vida.

      Eliminar
  5. Sou demasiado passional.

    Beijos, Carla :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu!
      E quando não tenho oportunidade de o ser, lá está, sobra-me o espelho para a simulação de todas as «gritarias» que emudeceram.

      Muitos para ti, Maria! :)

      Eliminar