21/03/2016

Para celebrar a Poesia

Dois poemas de um poeta que é um prazer ler.
É uma pena que não esteja nas escolhas previsíveis nestas ocasiões.


Essa paragem do teu pensamento

É como se não chegasses ao fim do teu pensamento.
Como se houvesse um corte entre o que pensas
e o que devias ter pensado ainda para atingires
o ponto mais elevado desse pensamento.
Essa impressão de que alguma coisa ficou por dizer,
como um som que deixasses de ouvir,
essa paragem do teu pensamento
que se recusa em prosseguir,
que se dissolve no sangue onde a escrita permanece,
essa cessação de movimento é a suspensão
da tua própria linguagem.


Fernando Esteves Pinto (2010), Área Afectada, Temas Originais.



O amor que ela sente é o silêncio

O amor que ela sente é o silêncio.
Constitui um ramo sentimental da sua própria solidão.
Às vezes o amor cresce-lhe no interior da ausência
e a sua felicidade mal adubada
adoece-lhe as raízes da vida.

Subimos sempre ao corpo de quem amamos
mesmo que a razão seja obtida a partir
do silêncio de certas palavras
uma forma emotiva de transformar em vazio
todas as verdade que não sabemos aceitar.


Fernando Esteves Pinto (2010). Área Afectada. Temas Originais.

3 comentários:

  1. Fiquei a conhecer. [uma pontinha, pelo menos :)]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes até vir a conhecê-lo pessoalmente, é um poeta algarvio. :)

      Eliminar
  2. Bonito, isto.

    Beijos,Carla :)

    ResponderEliminar