11/03/2016

Na mosca


9 comentários:

  1. Inteiramente verdade! O silêncio quando mistura com orgulho faz grandes estragos

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou o silêncio apático. São formas terríveis de silêncio.
      :)

      Eliminar
  2. Carla, não é nada assim tão 'automático'.
    Não será o silêncio uma das 'coisas' mais difíceis de partilhar com alguém e, quando bem conseguido, das mais bonitas e salutares? E só se consegue partilhar - eu disse partilhar! - o silêncio com um número reduzido, e por isso especial, de pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei de que silêncio falas, aquele silêncio bom que exige a presença física de quem o partilha contigo. É tão bom e diz tantas coisas mais que as palavras falham em dizer.

      Mas não é desse que falo. Do que falo não tem presença partilhada, tem ausência cavada a golpes de mutismo.

      Eliminar
  3. a nã ser que seja no autocarro... o silêncio aproxima, aquela mulher que vai ao telefone e quase nã respira, ela cria distância... é como o cheiro...

    ResponderEliminar
  4. Nem todos os silêncios, Manel, assim como nem todos os cheiros. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vamos estabelecer que no autocarro as leis do silêncio e cheiro são apenas válidas para esse universo :)

      Eliminar
  5. E no entanto é quando aprendes o silêncio que começas a viver....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Mafy.
      Aprender o silêncio é essencial.

      Eliminar