11/02/2016

Leio a lista a medo. Sei que vou encontrar lá o teu nome e não queria. Corro a sucessão de números ordenados alfabeticamente, até chegar ao teu. Estás - nome e sobrenome e aquelas duas datas entre dois parêntesis de mágoa. Não se esqueceram, negando a utilidade prática da empreitada, lembram-se de ti e incluíram-te nos poetas esquecidos. «Há uma coisa mais aviltadora do que o desprezo: o esquecimento», lê-se à entrada. Enquanto as tuas moiras tecerem os fios da tua ausência, deste estarás safo. Já da lista...

5 comentários:

  1. Magnifica a tua forma de escrever...

    ResponderEliminar
  2. O esquecimento é... Bem, ninguém gosta e poucos suportam ser esquecido... Mas alguns nunca serão. Enquanto houver quem deles se lembre.

    ResponderEliminar