21/12/2015

Atar as pontas

Temos a vida transformada num novelo. Entre a parca habilidade em enrolar o fio e o descuido alheio pela meada de que somos feitos, o mais certo é chegarmos a uma altura em que as pontas são mais que muitas e as oportunidades de as atar, muito escassas. Devemos, por isso, aceitar com toda a alegria os momentos em que os enganos do passado possam ser esclarecidos - pelo menos o vislumbre de que seja isto mesmo que venha a acontecer.
E as outras? É esperar com paciência. Pode ser que atinjamos um dia o ponto perfeito de não termos mais passado desarrumado para nos perturbar o resto dos dias.

2 comentários:

  1. Fiquei sensibilizada com esta mensagem.
    Eu não sei é se conheço as pontas. Penso muito nelas, como se sabe, mas as dúvidas continuam a ser grandes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As minhas pontas são as pessoas que saíram da minha vida de forma atribulada. Umas nunca serão atadas, bem sei, mas se puderem atar algumas, para mim será muito importante.
      :)

      Eliminar