09/09/2015

Dose diária de dilemas femininos

Ensaiei no início do ano uma mudança de corte de cabelo que foi um desvio considerável ao normal. A franja saltitou por cima dos olhos e as pontas subiram do rés do chão para o segundo andar, isto é, quase da cintura para pouco abaixo dos ombros.

Agora que o Outono se insinua com toda a elegância e o tal corte radical está transformado em abóbora indistinta, tenho dedicado largos minutos das minhas viagens diárias no comboio a considerar os prós e os contras de ir ainda mais longe. Ou mais curto!

Têm-me dito que não o faça, que os cabelos compridos são a fantasia de grande parte dos homens, que é uma pena, e se não gosto? Ora, se o comprimento do meu cabelo nunca me garantiu coisa nenhuma junto do sexo oposto, o mais certo é, por estes dias, cortá-lo pelos ombros. Ou pelo queixo! Ou... sei lá!

6 comentários:

  1. e um sistema de roldanas para subir e descer, não? digo eu, sei lá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele tem, chama-se crescer e cortar. (:

      Eliminar
  2. Corte radical. Atreve-te! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não o sendo, será! Pelo menos para mim. (;

      Eliminar
  3. Faz como te sentires melhor, sem pensares no que agradará mais aos outros.
    Beijo, Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel, já está decidido! (:

      bisou!!!

      Eliminar