21/07/2015

A mesa da cozinha

A mesa da cozinha está vazia de pessoas permanentes. Só se sentam nas cadeiras as pessoas temporárias, aquelas de que fujo desde que me lembro e que têm poderes para, todas as vezes que quase consigo, trazer-me de volta. A mesa da cozinha não é minha. Nem são meus os pratos, os talheres, os copos, a toalha. Não decido nada na cozinha onde todos os dias decido por imposição o jantar. Acontece lembrar-me das mesas das cozinhas que já foram minhas e onde se sentaram as pessoas que escolhi. Nada me pertence já: nem cozinhas, nem mesas, nem pessoas. 

Tenho as malas feitas, debaixo da cama, e deixo todas as noites a janela do quarto aberta. Há-de passar uma estrela em cadência que tenha espaço para mim e me leve para nunca mais voltar.

5 comentários: