11/02/2015

O cinzento tem sombras. 50, diz ela.

Parece ser uma espécie de código começar um texto sobre o fenómeno literário e cinematográfico no título insinuado com um aviso de salvaguarda ao pundonor: eu não li o livro! -- ou a trilogia, vá (expressão de horror e mão no peito). Também não irei ao cinema ver o filme, mas convivo bem com o facto de, mais dia menos dia - particularmente num dia de grande marasmo, ter como certo que o verei.

Pois não li o livro, o que não invalida que opine com toda a propriedade, ainda para mais quando me passaram tantos livros de cordel pelas mãos e alguns com descrições que fizeram corar violentamente os meus virginais vinte anos e os não tão já virginais quarentas da minha mãe. Creio estar então em condições de avaliar a dita trilogia -- Guerra das Estrelas, tu põe-te a pau! -- sem ter feito mais do que lhe olhar para a capa, concluindo um fortíssimo Nah!, não me interessa.

Mas interessa-me tudo o que surge ao redor, como o artigo do Expresso, gentilmente disponibilizado em Cadernos da Libânia. Da mesma forma que me interessa a criatividade de quem vê e parodia, cheio de inteligência e graça. 

Senhoras e senhores, (os meninos e as meninas não podem ver isto, que é para maiores de 16), para vosso real prazer e deleite, As Cinquenta Sombras de Grey em Lego e as As Cinquenta Sombras de Pink! (e para gargalhar a sério, As Cinquenta Sombras de Ellen)






4 comentários:

  1. Li umas páginas há uns meses porque um amigo me mandou os livros por email na brincadeira mas desisti. Prefiro outros livros se quiser erotismo ou pornografia. Esta coisa porno disfarçada de modernidade... Enfim.
    Quanto ao humor, é sempre refrescante!

    Beijinhos, Carla! :)

    ResponderEliminar
  2. Não vi. Não sei. Não fui .

    ResponderEliminar
  3. Pelo menos vê as paródias. Valem por si. (;

    ResponderEliminar
  4. As paródias vi e ri bastante. :):)

    ResponderEliminar