31/08/2014

The man I love

Para terminar um Domingo que foi empalidecendo com o Sol.

Devics - The Man I Love

No dia em que isto estiver escrito de vez, vou suspirar de alívio.

30/08/2014

Tu eras também uma pequena folha

Tu eras também uma pequena folha

Pablo Neruda

Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo.

29/08/2014

Goodbye, so long, I'm moving on

Apaguei a conta no Facebook. Foi aos pouquinhos. Comecei por apagar a página do Cais; depois foram os álbuns das fotografias com os poemas e as notas que ainda resistiam no arquivo; a seguir as páginas de que gostava; continuei pelas pessoas que seguia; logo depois todas as fotografias e imagens menos a da capa e do perfil; continuei, eliminando todos os amigos à excepção de um; apaguei todas as mensagens da caixa; decidi-me a apagar as imagens da capa e perfil; desamiguei o último amigo; fui às definições de segurança e cliquei em «desactiva a tua conta»; expliquei-me pela última vez, confirmei a decisão e fechei o perfil com a chave.

O Facebook, como um amante incrédulo, espera que volte em breve. Eu espero não ter motivos para regressar.


Goodbye to all my yesterdays

28/08/2014

Fanatismo

Damian Hovhannisyan

Fanatismo
Florbela Espanca

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver! 
Não és sequer a razão do meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida! [...]

26/08/2014

O divórcio

Porque eu sempre terei muito orgulho naquilo que os meus meninos fazem - ou fizeram.

25/08/2014

Pés de fora. Ou como o acordar pode ser uma chatice

Enfurecem-me os pedantismos dos pseudo-intelectuais, os sentimentozinhos de superioridade bacoca com que tratam os outros.

Ide-vos, ide-vos para o raio que vos parta.

22/08/2014

Das Utopias

supruntu:

Christer Stromholm
Christer Stromholm



Se as coisas são inatingíveis... ora!
não é motivo para não querê-las.
Que tristes os caminhos, se não fora
a mágica presença das estrelas!

21/08/2014

10/08/2014

Vamos ser velhos ao sol nos degraus das escadas

Vamos ser velhos...
Maria do Rosário Pedreira
Vamos ser velhos ao sol nos degraus
da casa; abrir a porta empenada de
tantos invernos e ver o frio soçobrar
no carvão das ruas; espreitar a horta
que o vizinho anda a tricotar e o vento
lhe desmancha de pirraça; deixar a

chaleira negra em redor do fogão para
um chá que nunca sabemos quando
será – porque a vida dos velhos é curta,
mas imensa; dizer as mesmas coisas
muitas vezes – por sermos velhos e por
serem verdade. Eu não quero ser velha

sozinha, mesmo ao sol, nem quero que
sejas velho com mais ninguém. Vamos
ser velhos juntos nos degraus da casa –

se a chaleira apitar, sossega, vou lá eu; não
atravesses a rua por uma sombra amiga,
trago-te o chá e um chapéu quando voltar.

08/08/2014

E há-de ser que o tempo

se faça de ondas batendo contra a dureza das rochas.

07/08/2014

No rescaldo da demorada exposição ao sol

Natureza humana

As pessoas normais fazem dieta, as outras aspiram-se.

06/08/2014

Universo feminino

E é assim que, parecendo que não acontece nada, acontece tudo.

02/08/2014

Perdi o tempo

Lost Time by Vanleith on deviantart


Podem facilmente avaliar a dimensão da minha perda, sabendo, por exemplo, que já perdi duas reuniões plenárias do Governo Sombra e que a minha depilação tem sido muito feita às três pancadas.

Não é desinteresse por este espaço, ou pelo vosso, é mesmo um estado de cansaço que me impede até de pestanejar.

Se lamento? Nadinha! Poucas coisas substituem o prazer de jogar uma espécie de futebol com os meus pequenotes-sobrinhos. E o carrego no colo e os lanches e os puzzles e os jantares. Entretanto já perdi dois quilos...

Até daqui às minhas férias -- lá para setembro!