13/05/2014

Conhecereis a escrita e a escrita vos aprisionará

autor desconhecido

Perguntam-me se escrevo. Se tenho escrito. Respondo que não. Ao inevitável porquê um silêncio ignorante. Não sei. Não sei por que não escrevo, da mesma forma que não sei por que o faço. Há uma ausência de tragédia nos dias próximos que me priva da vontade de vomitar em palavras os sentimentos atrofiantes. Talvez seja por isso que não escrevo. De qualquer das formas, escrever não me liberta: conhecereis a escrita e a escrita vos aprisionará. Fere-me, prostra-me, pesa-me. Cada palavra que escolho, mesmo que seja uma escolha pouco satisfatória, leva o meu ADN, por isso, sou uma péssima ficcionista. Sou eu a escrever-me em círculos desenfreadamente pessoais até não me reconhecer em nenhum -- mas sou eu, está lá tudo o que é meu. Perguntam-me se tenho escrito. Respondo que não. Ao inevitável porquê um encolher de dedos: já tudo fui dita.

Sem comentários:

Enviar um comentário