02/01/2014

Desejos para o ano vindouro

Os meus desejos são secretos.
Não que não tos possa dizer, não que o sejam
só agora que o ano velho se despede cansado e
o novo ano fervilha de imprudência infantil.

São secretos os meus desejos.
Não que não os saibas já, não que não os
suspeites no baloiçar dos meus passos,
no riso dos meus olhos, no vacilar dos meus versos.

Secretos os meus desejos são.
Escrevo-os em pedaços de papel, rasgados
de cadernos alheios e dobro-os em mil dobras,
pequeninas como os meus desejos nunca serão.

Guardo-os nos bolsos, com as chaves de casa
e o mapa da cidade. Lavro-os nas paredes
do sótão onde me escondo da existência pálida
e teço teias à volta do coração.

Desejos meus secretos são.


Publicado originalmente em Cais das Letras

2 comentários:

  1. Tudo pelo melhor

    a despertar relâmpagos

    ResponderEliminar
  2. os meus desejos são objetos de prazer
    escritos no calor de noites de insónia
    o desejo de ser eu confidencialmente
    escritos no calor das palavras lá
    onde escrevo os meus desejos sonhados
    em noites de insónia

    ResponderEliminar