26/09/2013

A vindima

A vindima é um bom exercício para o esquecimento. Quando se fazem metros e metros, de cabeça ao fundo, rabo para o ar, entre as parras, não se consegue pensar em mais nada, a não ser salvar os dedos da tesoura.

4 comentários:

  1. Vindimar. Eis uma solução que não está ao alcance de toda a gente :)

    ResponderEliminar
  2. Estive a ler-te no "antigamente".

    É curioso, Carla, para mim a vindima sempre foi uma festa. Desde pequenote que aparecia nas vindimas e as pessoas falavam, riam, contavam anedotas (muitas vezes espreitavam para ver onde se eu e o meu irmão estávamos perto, por causa do picante da coisa).

    Claro era um ambiente familiar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já nem me lembrava disto! :)

      As vindimas cá em casa são mais modestas, as vinhas não são assim tão grandes. No tempo do meu avô, sim. Eu tenho jeito para me abstrair das festas em prol do meu ensimesmamento. :)

      Eliminar
  3. Estive a ler-te no "antigamente".

    É curioso, Carla, para mim a vindima sempre foi uma festa. Desde pequenote que aparecia nas vindimas e as pessoas falavam, riam, contavam anedotas (muitas vezes espreitavam para ver onde se eu e o meu irmão estávamos perto, por causa do picante da coisa).

    Claro era um ambiente familiar.

    ResponderEliminar