28/06/2013

Tu e eu não podemos ser um nós

Ultrapassar um amor é tarefa dura, exigente ao corpo, à mente, ao coração e à carteira - que também se ressente da necessidade de preencher o vazio que um amor perdido deixou.

É preciso um grande auto-controlo, perseverança, assertividade. É precisa uma grande dose de coragem em ignorar o objecto amado que, caso o drama seja mais intenso, se passeia em frente ou debaixo dos nossos olhos, excluí-lo do campo de visão e do pensamento.

Também não é de desprezar o auto-consolo e a capacidade de dar palmadinhas nas próprias costas, abraços imaginários e palavras de reforço - «deixa lá, vais encontrar melhor» -, enquanto os olhos se passeiam pela montra de uma sapataria ou pelo balcão dos gelados.

É preciso o inevitável tempo, para arrumar a frustração e a mágoa de saber que éramos feitos um para o outro, que tínhamos tudo para uma convivência pacífica e cheia de bons momentos, impossibilitada pela logística da partilha do espaço e dos bens ou por questões de pormenor familiar ou pela inevitável falta de tempo para construir uma relação forte e duradoura.

Estou no momento a trabalhar para a indiferença, habituando-me a não considerar o meu objecto amado como parte de mim, mesmo sabendo que não é o melhor para ambos.

9 comentários:

  1. podes crer que é tarefa exigente...

    ResponderEliminar
  2. Espero que a primeira pessoa do singular resista a essa nostalgia da primeira pessoa do plural... E, depois do luto, avance para outros "tus", sem se fechar, nem amargurar...
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Miú, na verdade este texto é pseudo-dramático, já que o meu amor profundo é pela minha gatinha bebé - queria muito ficar com ela, mas não posso. :(

      Eliminar
  3. Assume a gata e acaba com esse sofrimento. Ela já é tua, é demasiado tarde para a dares :)

    ResponderEliminar
  4. fora de contexto: a respeito de um post teu anterior que falava sobre a tendencia para o pessimismo:http://www.elconfidencial.com/alma-corazon-vida/2013/06/25/ocho-razones--por-las-que-ser-pesimista-y-tener-mala-leche-te-ayudan-en-la-vida-123630/

    Afinal o pessimismo é uma coisa boa, abaixo os "a vida é bela e amarela" a produtividade o aumento da memoria e das capacidades intelectuais(e muitas outras coisas boas) está associada ao pessimismo.

    Vês ????nem se pode ser negativo como deve ser, aparecem logo cientistas a mostrar o lado positivo da coisa.

    ResponderEliminar
  5. Fazes lembrar o outro, que diz "Há sempre uma boa dose de verdade, em todas as mentiras que vos conto" ;)

    ResponderEliminar