13/06/2013

«Sobre o luto do Belo»

Vivemos uma era de estetas: nunca se falou tanto de beleza e nunca tanto se decretou a morte da beleza. Fugimos da harmonia na arte, de uma forma precipitada e dogmática, e com o mesmo impulso dogmático e ansioso buscamo-la incessantemente nos corpos. De tanto se esforçarem para serem eternamente jovens, as mulheres hoje, aos quinze anos, parecem ter trinta. E agora a ditadura da beleza começa a estender-se aos homens.
12.10.2002
Inês Pedrosa, Crónica Feminina 

3 comentários:

  1. estou condenado... se não sou bonito agora não vai ser quando isso chegar ate aos homens!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és tolo e eu dou-te porrada!

      Eliminar
    2. pois, só me dás razão, o que os populares fizeram ao quasimodo, Monstro de Frankenstein, Monstro (bela e monstro), encheram-nos de porrada!

      Eliminar