01/06/2013

«Pedo-simplicidade»

As crianças têm uma qualidade que os adultos deviam de querer ter de volta - a simplicidade com que dizem os afectos.
Beijar, acariciar o cabelo, abraçar nas horas menos propícias, dizer «gosto de ti» e sorrir de contentamento, tudo isto uma criança faz, sem precisar que lho façam ou digam antes, sem precisar que lho façam ou digam depois. Sem medo de inconveniências ou incredulidades.
Os adultos deviam de querer voltar a esta simplicidade. Os adultos deviam de perder o medo e voltar a dizer «amo-te», com toda a convicção. 


Eu quero ser como a Fabiana, que substitui as palavras por sorrisos enternecedores e abraços que sabem pela vida; quero ser como a Beatriz, sem medo de pedir colo e dar miminhos. Quero ser como elas, simples na forma de ser - criança.

2 comentários:

  1. Felizmente ainda vão havendo alguns adultos assim. Poucochinhos... 3 ou 4 vá!

    ResponderEliminar
  2. Eu sou muito assim.
    Por isso me acho uma miúda e teimo em não querer crescer.

    ResponderEliminar