24/06/2013

Coimbra, o Património e o meu ódio de estimação

Coimbra foi elevada a Património Mundial pela UNESCO. Parece-me bem, aliás, considero muito bem, porque era um objectivo há muito perseguido e uma distinção destas não tem muito por onde fazer mal.

Devia eu, pois, estar ululante de felicidade, porque: 1) pertenço ao distrito; 2) estou geograficamente muito próxima; 3) CBR encanta muita gente e tem uma magnífica universidade. Devia, não era, mas estou moderadamente exultante, talvez porque 1) não gosto da cidade de Coimbra, 2) a perspectiva de passar cinco anos da minha vida lá a estudar afigurou-se-me como um castigo maior do que a morte e 3  a FLUC é feiinha que dói.

É, eu sou mais capital, mais FLUL, mais cidades abertas e com cheiro a mar. Ir a Coimbra é só mesmo porque tem de ser e não lhe vejo o encanto de que tanto se fala.

O que não invalida que o feito seja louvável e que o meu grau de satisfação esteja em alta. 

3 comentários:

  1. Todos sabem que Coimbra só ganhou essa distinção por causa do urso verde!:)

    (Isto está tão primaveril que até dá gosto vir aqui:))

    ResponderEliminar
  2. A vida é feita de pequenos nadas

    ResponderEliminar
  3. é, Coimbra é naquela do come-se. senti isso assim que lá fui.

    ResponderEliminar