22/06/2013

Até o enxoval respira outro ar

Depois de um inverno mais longo do que o normal, depois de voltar a ter as manhãs de sábado só para mim, depois de me passar a preguiça, volto ao meu ofício de recuperação da quinquilharia que tenho espalhada pela casa. 

Tenho um pé de uma máquina de costura com quarenta anos para recuperar, uma mesa de jantar com a mesma idade e uma mala de madeira já a dobrar os vinte - isto só por agora. O pé da máquina está quase pronto e hoje foi dia de «atacar» a mala.

Quando comprei o esmalte sintético, a ideia era pintar o pé da máquina, no entanto, acabei por não o fazer, já que os acasos até podem ser muito felizes - mas isso fica para outro post. Ora, descobri no processo de dar nova vida aos móveis que tenho um fascínio por móveis brancos, o que até é bom, visto que as divisões da minha casa são muito pequenas e assim não ficam tão pesadas.

Bem, o esmalte que tinha era supostamente um tom pérola que supostamente ia ficar bem com as mesas de cabeceira e a cómoda do quarto, que já tinham sido pintadas há uns oito anos e tinham perdido o aspecto mais branco, por isso decidi começar pela mala (abro parêntesis para esclarecer que na minha terra aquilo é uma mala do enxoval, o baú é outra coisa).

O pior foi quando abri a lata e nem sinal do pérola. O tom da tinta aproxima-se mais do leite condensado ou do amarelo deslavado. Lá comecei a pintura, sem grande cuidado porque a tinta não estava a agarrar muito bem, enquanto resmungava comigo mesma que mais valia ter comprado branco.

Quando acabei de a pintar, fui fazer outras coisas e, ao voltar ao quarto, começo a olhar para a dita cuja pintada e a achar que até nem estava muito mal. Conclusão, compus melhor a tinta nalguns lados e deixei ficar - tem um aspecto de patina provençal (cof cof) que resulta, não sei lá muito bem porquê. A imagem não mostra muito bem como ficou, até porque se perde o pormenor da cor da madeira, mas no quarto - cujas paredes são cor salmão -  realça e fica bem no contexto. 

Ao menos alguma coisa que anime a alma. Acho que a minha mãe quando vir a mala vai ter um ataque de histeria, mas a mala é minha, os atoalhados com barras de cetim e folhinhos também, por isso...

2 comentários:

  1. Quando a vir nesse estado a tua mãe pensará, quem me dera amá-la como antigamente... mas tu cresceste muito e o amor dela por ti também.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afianço que está mais bonita ao vivo do que na fotografia. Na foto, parece que só está mal pintada, mas ao vivo tem charme. (;

      Eliminar