01/04/2013

Correspondência íntima - XI


Dizes-me tu que devia escrever e quem sabe tornar as minhas coisas vendíveis. Há tantos que o fazem. Generosamente questionas-lhes a qualidade, sobes-me à liga dos importantes e insistes que devia montar um esquema tático que me garantisse a vitória e me permitisse jogar taco-a-taco com eles.

Digo-te eu que o meu orçamento não chega para me manter em tal liga. Tenho contra mim uma coisa que eles não têm, nenhuma vontade de me tornar famosa com a escrita. Isto impede que eu escreva em catadupa, sobre tudo e sobre nada, opinando a torto e a direito, fazendo-me notar. O que eu quero mesmo é escrever quando a vida me lixa as voltas e ela tem-me dado umas quantas oportunidades. 

Fiquemo-nos pelas vitórias morais dos elogios afáveis que me deixas no email.*






* Chegou com atraso. Como os comboios da CP, tardou, mas não falhou. (:

Sem comentários:

Enviar um comentário