14/02/2013

Porque eu prometi a mim mesma não escrever sobre este dia


A casa está em silêncio. Saíram todos. Cada um tinha que fazer noutro lugar qualquer. Cada um levou a companhia que lhe correspondia. No fim das vezes todas que a porta se fechou, a casa calou-se. Fiquei eu. E o silêncio. Abro livros e leio histórias alheias. Procuro música, é preciso ouvir outra voz que não a que se calou dentro de mim. Vive-se na terceira pessoa o que nos é negado. Há quem diga que é melhor do que nada, há quem diga que é preciso uma alma generosa para apreciar a fortuna alheia. Há quem diga muitas coisas. A maior parte delas para não estar calado. É sempre o silêncio que é preciso emudecer. Batem-se palavras contra a parede, como bolas sem sentido. Enquanto cada uma ecoa no vazio, a casa parece menos triste. São as coisas miúdas que se juntam, como berlindes no bolso, a pesarem e a magoarem a ponta dos dedos, cada vez que se faz pontaria ao buraco. Conto um palmo e meio. Se bater no grande é meu. Falho. O principal do jogo é jogar. Ganhar é um tiro de sorte. E o resto é poesia em folhas de papel amarelado, escrita por quem não percebeu que o futuro eram os jogos de tabuleiro.

10 comentários:

  1. Ainda bem que não cumpriste. Gostei :) Um beijinho Rapariga

    ResponderEliminar
  2. ahan. saiu bonito, "vistes"?

    agora este tema outra vez, já paravas com isto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vê lá se queres que te rebente os balões! humpf

      :D

      Eliminar
  3. É apenas um dia no ano. Há 364 outros em que o compensar. ;) Mas olha que uma casa em silêncio pode ser bem agradável!

    ResponderEliminar
  4. e subitamente a casa ficou menos triste...

    ResponderEliminar
  5. Um texto muito bem escrito, apesar das motivações poderem não ser as melhores, porque será que as palavras mais bem escritas são tantas vezes as que ecoam da tristeza da alma?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uma ideia do Rodrigo Leão que me ficou, depois de ler uma entrevista que deu a um qualquer jornal que não me lembro. Dizia ele que lhe saíam melhor as músicas tristes e nem sabia bem porquê. Há alguns anos que isto me acompanha e lembro cada vez que escrevo, porque é quase tudo triste, porque parece que só sei escrever assim.

      Não respondi à tua pergunta, também não tenho resposta. (:

      Eliminar
    2. Nem sei se alguém terá...

      Eliminar