27/01/2013

Pensamentos dispersos entre cafés e copos de licor

Há objectivos que parecem ter como único fito não ter qualquer tipo de objectivo. Há também pessoas ditas doidas que gostam de andar assim, ao sabor da maré. E há pessoas ditas neuróticas que gostam de planear a vida ao microssegundo, sem tempo para o imprevisível. Para elas os objectivos serão metas a atingir. Há pessoas que quando começam a escrever não sabem onde vão parar. E há pessoas que às vezes gostariam de poder subverter toda a gramática atestada e inventar uma maneira nova de dizer amor. Há pessoas que deviam deixar de beber vinho branco ao almoço. E há pessoas que deviam deixar de dizer às outras o que elas podem ou não fazer. Rodopia-se em bancos altos, feitos de pau de pinho, em roscas que descrevem círculos quase perfeitos, quando não são elipses a rasar a parede, à procura da melhor perspectiva. E de repente deu-me vontade de ler Cecília Meireles.

4 comentários:

  1. Bem pensado, melhor escrito!
    :)

    ResponderEliminar
  2. Eu chamar-lhes-ia pensamentos atentos :) Um beijinho Rapariga

    ResponderEliminar
  3. Ir com a maré é uma coisa boa. Há muito decidi que o meu plano de vida era não ter plano. Não me tenho dado mal.

    ResponderEliminar