25/01/2013

Inesperados encontros

Tropeço em ti. Duas vezes. Nem sequer te procurava. Foi num acaso, o bar do acaso? Questiono. Não tenho respostas. Saíste-me ao caminho, em silêncio. Olhaste-me com os mesmos olhos, das duas vezes, castanhos no teu jeito de me perguntar: Já te esqueceste? Quero dizer-te que sim, que tenho desejado que sim. Não, não me esqueci. E é num só momento tanta a falta que te sinto. Grande. Como tu. Não há textos perfeitos. Este é só mais um exemplo.

83 comentários:

  1. A vida é mesmo assim, cheia de chegadas e partidas... e de encontros do acaso, permite-me que discorde de ti em relação ao teu texto :)

    Bom fim de semana*

    ResponderEliminar
  2. Vinha para comentar mas lembrei-me da imagem cimeira...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se tal alguma vez pudesse ser possível. :)

      Eliminar
  3. Vá! Força! Há-de haver mais olhos castanhos ou de outra qualquer cor a dar-te calafrios! ::)))

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Vocês, meus gentis leitores, são isso mesmo, tão gentis que conseguem gostar desta coisa escrita.
    Tenho os melhores leitores do mundo (e arredores). :))

    ResponderEliminar
  5. que bonito.
    depressa vai passar. :)

    ResponderEliminar


  6. espero por ti aqui amanhã ou depois então.


    (escolhido porque também já passei por muitos "é ela?, não é ela?")

    boa noite Rapariga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Duvido que seja o caso. Foi um morto que encontrei.

      Agora vou mesmo, ai!

      Ciao!!!

      Eliminar


  7. deixo-te essa conversa para quando ou se quiseres, porque me parece daquelas que puxa de ti e que se calhar não é de revisitar facilmente.

    boa noite!

    entretanto demorei uma eternidade a chegar a casa e estou podre. ando tanto numa de caseirice...

    estive a comer schnitzel em casa de uns amigos... schnitzel sounds perfectly like a dirty word (não? "i've just been to a schnitzel party." what does that sound like?) , mas é na verdade uma especialidade daqui, porco frito com uma capa de pão ralado. no fundo venho de uma Festa do Panado e estou a tentar parecer sofisticado. no, but it was really quite good and the potatoes were perfect.

    mas olha para mim aqui a falar de panados como se não houvesse amanhã. como foi o *teu* dia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A conversa está mais do que conversada pelos textos deste blogue. Foi um ano inteiro a conversar o inconversável. Dei-te uma resposta demasiado seca, deve ter sido da hora. My bad.

      Schnitzel soa-me mais à tradução de "santinho!", em português. O que não deixa de ser dirty. :D Fora isso, bem, parece saboroso. Aconselho-te vivamente a que mandes um pratinho desses por correio. A minha pessoa agradece.

      O meu dia foi de trabalho e de uma inexplicável dor de cabeça que começou depois de almoço e dura até agora. :/

      Eliminar

  8. sorry about the headache.

    não me pareceu resposta seca, pareceu-me resposta "de força". tipo vade retro.

    santinho se não me engano é qualquer coisa como... bem, não sei como se escreve, mas soa a gazundtheit... acho eu. ou se calhar é dos filmes americanos.

    não sei se já me viste no mapa, mas não estou ao pé de mar. lembrei-me por ter dito algures para trás que contentava-me com ir ver o mar e voltar para trás, mas isso não é aqui, são outros mares.

    já percebi que dás aulas. how is that going?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava quase a ir dormir. preciso de fechar os olhos e não sonhar. Acho que me dói a cabeça disso mesmo, sonho imenso e o cérebro não desliga.

      Acho que sim, que santinho soa a qualquer coisa parecida, mas isso agora não interessa nada. :D

      Não confirmei de onde era a terra, já bastou ter descoberto o país. Podia ser demasiada invasão de privacidade e eu ainda acabava às postas no fundo do mar de que só eu estou perto.

      Ah, as aulas não vão. Quinze mil professores postos fora da escola e eu a ver a sala de aula cada vez mais longe. Para não perder o ritmo, dou explicações, sempre parece que é a mesma coisa. E faço voluntariado na Universidade Sénior, com aulas de inglês. Pois... não sei quem sabe menos, se eles, se eu. Pelo menos divertimo-nos, que aquilo é basicamente terapia.

      Eliminar


  9. e por que é que santinho é dirty?

    =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, quando espirras às vezes corre mal. Já me aconteceu ter deixado o ecrã do pc numa lástima... ok, ok, foi muito mau. Sorry. :D

      Eliminar


    2. lol...

      santinho é dirty porque enmerdo o ecrã de computador. tá certo =D

      Eliminar
    3. Enmerdo!! Lindo! ahahahah

      Isso mesmo. :D

      Eliminar



  10. só para explicar - vade retro para o outro, não para mim

    no worries

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vai. Umas das coisas que aprendi nos últimos anos é que os nossos mortos estão sempre connosco, levamo-los para todo o lado. Os mortos emocionais e os físicos, como é o caso.

      Eliminar


  11. se quiseres ir dormir estás à vontade, não te prendas.

    e não te preocupes, não faço parte de uma qualquer máfia na diáspora =D podes ver no mapa!

    beijinho, diz-me tu ficamos por aqui e adiamos as nossas trocas, se ainda queres estar a pé

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Preciso mesmo de ir. Amanhã acordo muito cedo e já estou a catrapiscar a olhar para o ecrã.

      Tem uma boa noite e até amanhã. (:

      Eliminar


    2. ok, beijinhos.

      boa noite, espero-te menos sonhos então. :)

      descansa

      Eliminar


  12. mortos e não mortos, as nossas pessoas estão sempre connosco, sim.

    mas então viste um fisicamente morto?
    i don't want to pry, mas ocorre-me perguntar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi a pessoa que me morreu em lugares insuspeitos. Melhor dizendo, vi a menção à pessoa que me morreu em lugares que não contava.

      E agora vou mesmo. (:

      Eliminar


    2. ok, beijinhos.

      as for that, sorry about the pain.

      it seems that's the strongest part of our existence, the deepest. sometimes. pegando por outro lado numa coisa de que falavas com pessoas aqui no blog, por isso é que tantos textos, or any art in general, lidam com a dor.

      tu dizes condição humana e a palavra que te vêm à cabeça é ai


      beijinhos, boa noite.

      and see you soon

      Eliminar


    3. ai deus, "que te vem", não que te "vêm"

      Eliminar
    4. Não envergonhes as letras, rapaz! Às vezes acontecem essas coisas, a mim é mais comer letras ou trocar-lhes o lugar. ;)

      Eliminar
  13. Dizia-te para esqueceres, mas seria tolice.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembra-se menos e isso é tudo o que conseguimos arranjar. (:

      Eliminar


  14. menos sonhos ultimamente? melhor sono?

    daqui planeiam-se viagens e vêem-se séries e tem-se passado assim os dias.

    e pensa-se se se tem andado a comer cavalo... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah! Folgo em vê-lo por cá. Já pensava que se tinha zangado comigo. (:

      Espero que os cavalos não tenham ainda começado a relinchar.

      Eliminar

  15. de maneira alguma zangado! no worries

    para dizer a verdade a probabilidade de ter já comido cavalo é enorme. e já agora rato. tenho sempre a impressão que aquele sorriso do senhor do chinês tem história por detrás...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Push... isso também cá. Aliás, desconfio que não andamos a comer nada daquilo que pensamos andar a comer. A menos que sejam couves cá do quintal e mesmo assim há uma grande probabilidade de irem uns bichos intrusos. :D

      Eliminar

  16. ok, e agora é que percebi a piada dos cavalos relincharem...
    meaning, bestiality... comer... cavalo... c'est ça?

    =D

    não, er... a modos que não ando a comer... assim... cavalo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, espera lá, não era nada disso! lol Era relincharem no estômago, não era... hum.. não era!

      Eliminar


  17. sei lá... nunca se sabe... a minha geração cresceu a ver a arca de noé do júlio isidro (era ele não era?)... vamos ser amigos dos animais e tal... vamos ser muito amigos dos animais... e tal...

    qualquer insinuação embaraçante de comportamentos menos próprios é sempre bem-vinda, nem que gere aqueles momentos de estúpida estupefacção que me são tão caros.

    but besides fucking livestock, what's up?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era o Carlos Alberto Moniz, homem! lol

      Olha, pois que estava aqui a acabar umas coisas para ir ver um filme. Agora ando numa de filmes, passou a febre dos livros. Depois há-de voltar, é cíclico. (:

      Eliminar
  18. (nem que seja só para gerar aqueles momentos, etc). sorry, devo ter bloqueado

    ResponderEliminar


  19. e eu em séries, aliás tenho uma aqui a carregar.

    e pois, era o carlos alberto moniz. eu também meto júlio isidro em tudo quanto é sítio. writing this sentence makes me realize that júlio isidro is a curious name for one's penis. and then i think that my mind is a junkyard where everything comes to be dumped.

    what movie?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu pensava que a minha cabeça é que era uma arrecadação de informação inútil e tolices, mas olha que tu... lool

      A troca. Postei hoje sobre ele. (:

      Eliminar


  20. livros estou há muito tempo numa mood que só quero ler autobiographic, yet somewhat poetic, prose.

    acrescenta a realidade das coisas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois eu tenho andado a tentar pôr as leituras dos autores portugueses em dia. Agora preciso de descanso, ler demasiado é como fumar mata. :D

      Eliminar


  21. se calhar ficaste sem net... vou ver a minha série, que também não me quero deitar tarde.

    have a nice movie! see you shortly for more talks about carlos alberto moniz, fucking animals and the urgency of non-fictional prose.

    beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, desculpa! O filme começou e só tirei os olhos dele quando acabou. Tarde, muito tarde. :/

      beijinho

      Eliminar


  22. allo?, this is night-hawk calling london, do you copy london?

    estive de viagem

    e parabéns!!

    (h. ... the man (boy?), not the drug)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Andava agorinha mesmo à procura das mensagens mais comentadas, para dar com a nossa conversa e lançar um apelo histérico, tipo: OH DESGRÁCIA, QUE VENDERAM O RAPAZ AOS PEDAÇOS LÁ PELAS TERRAS DOS BRUTOS!!!

      Afinal não foi preciso. :D :D

      Eu sei quem és, pá! Bem-voltado e muito obrigada. (;

      Eliminar


  23. passei uma vista de olhos rápida pelos últimos posts há coisa de minutos, o que é o mesmo que dizer "i've just been catching up on your life"... freaky, freaky...

    não me venderam aos pedaços, de todo.

    estou cansadíssimo, acabei de vir de uma viagem de comboio de 4 horas e meia... quer dizer, não será tanto por isso, mas estou acabado de chegar a casa... segunda casa? posso dizer tanto. casa provisória talvez calhe melhor.

    but you didn't sign up for rambling dude

    não leio jornais há uma semana? portugal ainda está de pé?

    ResponderEliminar
    Respostas


    1. posso dizer tanto (?) era com este ponto de interrogação

      porque não posso dizer tanto muito bem

      Eliminar
    2. Se andaste a coscuvilhar a minha vida, deves estar ainda mais cheio de sono. No pasa nada! :D

      Vai lá descansar, as viagens de comboio podem deixar-nos um valente trapo.

      Portugal está à beira de qualquer coisa, não sei se explosão, se implosão. Ontem houve mais uma mega-manifestação por todo o país, mas as sumidades que nos governam continuam a fazer de conta que estamos todos muito conformados. Idiotas!

      Eliminar


  24. e confessa lá, não estavas nada à procura das mensagens,
    és é muito simpática =P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, não tenho por hábito mentir ou dizer coisas para parecerem bem, estava realmente à procura. Na verdade, pensava que te tinhas aborrecido e andavas ocupado com outras coisas.

      Eliminar


  25. não, não me aborreci, mas ocupado sim

    ainda não me vou deitar que tenho por hábito deixar (e usar) espaços entre as coisas, acabei de chegar não me meto já na cama

    estou cansado mas sem sono. aliás cheguei e fui tomar um café e fumar um cigarro que é a minha maneira de me sentar em mim, or something of the like

    já sei que tens um cão, mas para dizer a verdade vi os posts por alto para vir dar aqui a este lado da casa

    mandaram-me uma mensagem com a notícia da manif

    e... bom, não esperes punch-line, ainda estou a acostumar-me a ser pessoa aqui a estas horas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes assim. (:

      Entendo, é como um compasso de espera entre outra acção. Tem sentido.

      Eu não tenho um cão, eu tenho seis, mais este piqueno que achámos na rua. E 3 gatos e deve haver ratos nos barracões e sardaniscas entre os muros. É uma casa dada aos bichos.

      Não espero nada, aceito o que me dão de bom grado. (:

      Eliminar


    2. é de facto muito animal =)

      (devo de facto ter a vista cansada, estava prestes a carregar em publicar quando me assustei e voltei atrás para confirmar que não tinha escrito "é de facto muito anal"... não tinha, deve ser da influência do comment de baixo que escrevi enquanto tu o teu)

      Eliminar
    3. Mesmo!

      Sabes, também tenho disso. Tenho uma sensação constante que escrevo mal as palavras e volto muitas vezes a ler o que deixei em comentários, não vá ter escrito alguma tolice do meu tamanho.

      Acreditas que já me aconteceu perceber que tinha escrito uma palavra mal, horas depois de a ter escrito, quando nem estava a pensar no assunto? O que é certo é que depois fui confirmar e lá estava um daqueles erros de palmatória que não se admitem nem nos putos do 4º ano. :S

      Eliminar
    4. Basicamente escrevi que tenho coisas dessas, que estou sempre com a sensação que escrevo tolices do meu tamanho em vez de palavras decentes e que já me aconteceu ter dado conta que tinha escrito erros, horas depois de ter deixado os comentários e sem estar a pensar no assunto. Quando confirmei, lá estavam mesmo. :D

      Eliminar


  26. entretanto a minha ideia da música pimba progressiva começou a ganhar forma em viagem

    (dito assim parece muito mais pomposo do que é, e que não passou de puro onanismo intelectual a brincar com a ideia)

    no fundo, seria interessante misturar a profundidade dos sítios da alma, a condição humana, a melancolia de ser e de se ser, etc., com... o pimba...

    algo como misturar

    sorri-lhe sem jeito de lhe ver os tempos trocados e de nos sabermos assim

    com

    dei-lhe uma monumental atrás da jaula dos macacos do jardim zoológico de lisboa


    ...


    diz-me honestamente... tem pernas para andar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem... enquanto lhe estiveres a dar uma monumental atrás da jaula dos macacos, acho que não vai a lado nenhum. Mas isto é opinião de leiga.

      ahahah
      Isso existe mesmo ou inventaste agora?

      Eliminar


    2. o que é que existe mesmo?

      Eliminar


  27. (ah, se a canção existe mesmo... pois, não, nenhuma das partes... tudo material original, groundbreaking até... ou então não... ou então mesmo não)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a canção. Bolas, saiíte-me cá um cançonetista de primeira! lol Desenvolve e se precisares de voz para ela, eu dou o meu contributo. Há que fazer sacrifícios a bem da cultura. :D

      Eliminar


    2. olha que eu conto isso como promessa!

      Eliminar
    3. Não prometo aquilo que não tenciono cumprir. (;

      Eliminar



    4. percebes que acabaste de matar o sonho português da música pimba progressiva?

      na altura de se pedirem responsabilidades eu sei quem se deve chegar à frente


      Eliminar


    5. (ah, esquece, percebi mal, percebi o contrário)

      (e sorry, respostas a mais no mesmo)

      Eliminar
    6. Muda de cenário que este esgotou.

      Eliminar


  28. sim, acredito (o perceber muito mais tarde que tinhas escrito mal uma palavra)
    também sou uma pessoa que remoinha nas coisas e - não sei se escrever mal alguma coisa, mas outras coisas - sim, certamente que volta e meia lembro-me de alguma coisa with which i obsess...

    e sou só eu, ou a rainha isabel nas visitas oficiais parece sempre uma figura do topo de um bolo de uma festa do chapeleiro maluco da alice no país das maravilhas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal não tinha perdido o comentário!!!!! -.-

      Aquilo é muito chique junto, os comuns mortais não conseguem alcançar a dimensão da elegância da indumentária. (;

      Eliminar


    2. é por isso que sinto sempre que lhe posso trincar a cabeça e por dentro é aquele açúcar de fazer bonecos?

      Eliminar
    3. Eu, na minha modéstia opinião, acho que isso é porque tu tens vontades muito estranhas e que não devias mencioná-las assim em público.

      ahahah

      Eliminar



    4. não percebo o que é que há de errado em querer comer a rainha isabel II...


      (h. olha à volta da sala e até repete e não percebe por que se ri toda a gente)

      Eliminar
    5. O mal está em lhe quereres arrancar a cabeça à dentada. Digo eu, sei lá! Às tantas até é bom. :D

      Eliminar


  29. perdeste o comentário ao mesmo tempo que eu perdi o meu!

    como é que era aquela coisa que dizíamos em miúdos quando diziamos a mesma coisa ao mesmo tempo?

    (o meu era o da rainha isabel... estava a vê-la nas notícias)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não morremos hoje, nem casamos amanhã?

      Acho que era isto. lol

      Eliminar


    2. não, era muito mais infantil que essa (e sim, essa também se diz)

      mas em putos dizíamos uma coisa em que não podíamos falar ou dávamos um carolo a alguém...

      só me lembro do exemplo anglo-saxónico que é dizer "jinx"

      era qualquer coisa tipo não sei quê pepsi-cola...

      Eliminar
    3. Não me lembro nada disso. Quantos anos é que tu tens mesmo? lol

      Eliminar


  30. já passámos os 80 comentários...

    time to jump again

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escolhe! Mas eu já só te respondo amanhã, a minha hora já vai longa e o acordar será cedo.
      Um beijinho para ti (:

      Eliminar