21/12/2012

Correspondência Íntima - IX

O passado é nosso. E voltamos lá sempre. Quer queiramos, quer não. Há ali um magnetismo. Sim, faz-te doer. Faz-nos doer a todos. Mas voltar a ele nem sempre é mau. Tenta pensar no lado positivo de cada um dos passados que te atormenta.

A minha relação com o passado está-me a escapar por entre dos dedos. Sinto que, se por um lado nada me liga ao passado ou o passado é-me tão estranho que nem o reconheço (há alturas em que mal o lembro), por outro ele pesa-me horrores e sinto que, mais do que nunca, estou presa neste momento assustador. É mais uma coisa que não sei. Mais uma dúvida, mais um assunto à reflexão.


6 comentários:

  1. Ás vezes o passado é para ficar onde está: no passado.

    ResponderEliminar
  2. Acredito que podemos "fugir" de tudo, menos de nós. Mesmo assim, teimoso como sou, insisto nessa "fuga", sempre para a frente, o que não é fácil...

    ResponderEliminar
  3. De repente, sinto-me feliz!
    Acho que vou abrir uma nova entrada no blogue, mais animada, sei lá. :))

    ResponderEliminar
  4. É dificil gerir o passado, eu ainda estou a aprender, e acho que vai demorar a vida inteira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pela minha experiência, que opinar sobre isto é sempre muito na experiência pessoal, o passado gere-se em doses. Há alturas em que o aceito e não deixo que me inquiete, há outras em que parece que estou a viver tudo outra vez. É na segunda situação que aprendo mais um pouco, até conseguir chegar à aceitação. Pelo menos, até ao próximo cavado.

      Eliminar
  5. O passado fica arrumado no dia em que conseguimos ir revisitá-lo sem o reviver. Como se fossemos olhar a vida ou história de outra pessoa.
    Por experiência pessoal, sei o quão é difícil lá chegar, mas depois fica mesmo arrumado.
    Vai chegar esse dia. Sei que sim. ;)

    ResponderEliminar