23/10/2012

Realmente, nasci no século errado

Rembrandt Harmenszoon van Rijn - Bathsheba at Her Bath, 1654

Tivesse eu nascido pelos séculos XV-XVII e estaria escarrapachada na parede de um museu famoso.


21 comentários:

  1. Tu e eu... Não sei é se teria alguém a limpar-me os pés, mas enquadrava-me perfeitamente nos padrões da altura...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso também não sei, mas que dava uma musa fantástica, isso dava. ;)

      É triste viver no tempo dos pauzinhos de virar tripas. sniff

      Eliminar
  2. desacasos

    entro na minha pagina do igoogle, e do lado direito tenho este post, do lado esquero tenho este poema:

    Quando não posso contemplar teu rosto,
    contemplo os teus pés.

    Teus pés de osso arqueado,
    teus pequenos pés duros.

    Eu sei que te sustentam
    e que teu doce peso
    sobre eles se ergue.

    Tua cintura e teus seios,
    a duplicada purpura
    dos teus mamilos,
    a caixa dos teus olhos
    que há pouo levantaram voo,
    a larga boca de fruta,
    tua rubra cabeleira,
    pequena torre minha.

    Mas se amo os teus pés
    é só porque andaram
    sobre a terra e sobre
    o vento e sobre a água,
    até me encontrarem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu não soubesse que és um homem de bem, até ficava mal-impressionada.

      ahahahahah

      (os pés de pequenos não têm nada ;)

      Eliminar
    2. Faltou dizer que o poema se chama "Os teus pés" e é de Pablo Neruda. ;)

      Eliminar
    3. Está a ver como não faltou? ;) No processo se calhar até descobriste mais dois ou três

      Sou um homem de bem, mas o meu igoogle é do demo

      Eliminar
    4. Por acaso foi só este. lol

      LOL Estou a rir da tua segunda frase.

      Eliminar
  3. Opá já somos duas então :) Hoje é só magricelas :/
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resistamos, companheiras de combate, resistamos. E por falar nisso, está-me a dar uma fome do caraças. Ao almoço! ;)

      Eliminar
  4. E vão duas. Deixa lá, ainda há-de voltar a moda das Rubanescas (ainda que seja quando eu já estiver no lar, com as mamas a bater na cintura....)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahaahh

      Oh Lizzie, mulher, qual quê? A gente puxa-as para cima e prende com fita-cola. :D

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Poisssss... se eu era a musa inspiradora, a diva do pintor, a mulher perfeita, tinha de ser. Tudo pela arte, minha cara, e pela educação estética das gerações vindouras.

      Eliminar
    2. Ahahaha, não estás bem a perceber o rol de imagens que me surgem na cabeça... Eu, enquanto estudante a visitar um museu e a dar de caras contigo nestes preparos :)

      O que é bom é para ser visto, já dizia a minha avó!

      Eliminar
    3. Mas tu não saberias que era eu. Olharias e dirias: safa, que gaja gorda!

      Fica tranquila que não corres o risco de ver tais coisas nos dias de hoje. ;)

      Eliminar
    4. Agora merecias um apertão nas bochechas mas que deixasse marca!
      É claro que sabia que eras tu, género : " Eu vou conhecer esta beleza" uhuh

      :D

      Eliminar
    5. Se isso é uma tentativa de me veres chapar aqui uma foto minha em trajes semelhantes, esquece! A bem dos olhinhos e do descanso das alminhas que aqui caem por acidente. Nunca lhes faria tanto mal.

      Eliminar
    6. ahahah, bolas!

      (qualquer dia pensam coisas de mim, estou bem lixada)

      Eliminar
  6. ahahahah

    Mas porquê, Moça Singela? Tens um Escravo? rsrsr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nah, tenho abundância de carnes! :D

      Mas gostei de ver que tivesse visto o outro lado da leitura.

      Eliminar