10/05/2012

Mas ainda tenho em mente uns cacos de ti

Foram um boa descoberta, pelo menos uma consciente, ontem na Queima em Coimbra. O concerto foi fenomenal e trouxe comigo um CD desta banda de São João da Madeira (pelos vistos, não é normal que os de Santa Maria da Feira gostem dos vizinhos, mas eu só fui lá ver a bola mesmo :).
As letras são muito interessantes e a música suficientemente complexa, para eu gostar. Lá pelo meio, mais uma música para a banda sonora oficial da minha vida.





Etanol - Prana
Há quem beba e não saiba o que faz.
Há quem olhe em frente e não olhe pra trás,
mas ainda tenho em mente uns cacos de ti


De uma garrafa bebo o que ela não tem
e vejo no fundo o difuso alguém
E lembro tudo aquilo...
Tanto que eu perdi.


Tento matar a sede que não quer morrer,
Mais um copo e outro, e então pode ser
que adormeça e pareça que sim.


Bebo, a tudo o que a vida tirou
e a tudo o que hoje eu não sou
e o que eu dava pra te ter.


Bebo, porque ao beber não sinto a dor,
brindando ao diabo e ao amor
e à hora que falta para amanhecer.



2 comentários:

  1. Uns "cacos" de ti, gosto muito da associação :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, principalmente quando a memória não é mais do que isso, pedaços das coisas. :)

      Eliminar