10/04/2012

O sujeito poético

o sujeito poético é um sujeito deveras interessante
um dia, sem saber muito bem porquê,
sem saber muito bem como,
precisou que o autor lhe fizesse um favor
e desde esse dia o autor cobra-lhe o desenrasque
e obriga-o a dar a cara pelas suas cobardias.
hoje preciso que digas que eu amo a Mariazinha.
mas eu não amo a Mariazinha, nem a conheço.
hoje tens de a amar! lembra-te do favor que te fiz...
e o sujeito poético lá vai, assumindo ao mundo o amor que não sente
a tremer que a Joaninha o ouça e a noite acabe azeda.

eu também quero um sujeito poético,
um pau-mandado, perdão, um duplo de mim que assuma
a minha cobardia. fica decidido que não será uma sujeita, não, não, não!
tem de ser um homem de barba rija, só para os perturbar.
divirto-me a ver-lhes o espanto quando o meu sujeito
anuncia que o Quim Zé é realmente um rapaz com muitos encantos,
ou que o que lhe apetecia mesmo era comprar uns sapatos novos
e equilibrar-se no fio de uns saltos de dez centímentros.

a mãe do sujeito poético sofre muito, coitada,
é que - não sei se sabem -, mas o filho da vizinha do lado trabalha no governo
muito digno, muito respeitado
ao contrário do seu, trabalhador por conta de outrem
sem descontos, nem regalias, escravo pré/pós-moderno (para o caso, tanto faz)
de um patrão insuportável e genioso, mais do que genial...

a vizinha do lado tem as suas desconfianças sobre o filho da mãe dele,
neste caso, a vizinha, já que nunca ouviu falar daquela profissão,
que ele é um sujeito está à vista de quem quer ver,
o poético é que lhe dá que pensar,
parece-lhe que a vizinha lhe quer esconder alguma coisa...
uma certeza ela tem, o filho da vizinha é
um sujeito patético.

6 comentários:

  1. É preciso ser-se inteligente para ler isto? É que não tem rimas, não sei se consigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vá, ânimo, se eu o consegui escrever, o menino também o conseguirá ler. ;)

      Eliminar
  2. Afinal consigo. Yupi.
    Está muito nice. Uma escrita bem diferente da minha, por exemplo. Mas com encanto.

    E que apareça o pau mandado. Perdão, o duplo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O duplo já cá anda e quase sempre másculo, presta-se melhor à tal lengalenga do efeito literário e tal. ;)


      Fico supinamente maravilhada com o seu elogio. :)

      Eliminar
  3. Eu fiquei maravilhado com o supinamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Horas e horas de investigação em dicionários (é de quem não tem que fazer!lol).

      Eliminar