26/01/2012

Ironias

Basta escrever o teu nome no Google e surgem páginas e páginas sobre ti.
Há uns tempos atrás, era preciso paciência e procurar muito bem, para encontrar o que quer que fosse.
Falam da tua morte, lamentam a perda da tua escrita, a ausência do poeta.
A mim faltas-me tu, sem poesia nem prémios, tu e tudo o que te fazia humano.

4 comentários:

  1. Infelizmente é assim... o valor que uma pessoa tem chegar muito tarde por vezes... de qualquer forma não me pareça que seja opinião que importe, a dos media.
    Guarda esse humano e recorda-o desse jeito.
    Força, coragem e um abracinho *

    ResponderEliminar
  2. Assim é, o que recordo são coisas tão simples que não deixam por isso mesmo de ser belas e poéticas.

    Obrigada, Anita, eu sei que tenho de dar tempo, mas este tempo escorre muito devagarinho...

    ResponderEliminar
  3. Conheces o outro lado... Chora, apaga as tuas luzes, faz o luto! Se não o fizeres, não sobrevives à "tua" perda.

    Txi amo. hug

    ResponderEliminar