28/11/2011

Património i material?

O Fado foi elevado a Património Cultural Imaterial. Parece-me bem, aliás, parece-me muito bem.

Para quem não sabe o que isto quer dizer e não quer fazer fraca figura durante a leitura dos muitos textos que se vão espalhar pela blogosfera e poder comentar com conhecimento de causa, cito-vos a página da UNESCO:

considera-se património cultural imaterial as práticas, representações, expressões, conhecimentos e aptidões – bem como os instrumentos, objectos, artefactos e espaços culturais que lhes estão associados – que as comunidades, os grupos e, sendo o caso, os indivíduos reconheçam como fazendo parte integrante do seu património cultural.

O património cultural imaterial
manifesta-se nos seguintes domínios:
a) Tradições e expressões orais, incluindo a língua como vector do património cultural imaterial;
b) Artes do espectáculo;
c) Práticas sociais, rituais e eventos festivos;
d) Conhecimentos e práticas relacionados com a natureza;
e) Aptidões ligadas ao artesanato tradicional.

Ora, eu sou relativamente fã de fado. Na verdade, gosto mais do dito fado canção que do fado tradicional, não sei bem explicar porquê. Não que isso seja relevante.

Para celebrar o facto (com c, porque o novo AO assim nos diz), uma homenagem a Amália, na voz de Dulce Pontes e na música do grande Ennio Morricone.

2 comentários:

  1. E após a notícia disto, um anormal que é dos Homens da Luta queimou o B.I e deitou-o na sanita... sao esses os novos exemplos de Portugal e coisas como o Fado passam ao lado.

    ResponderEliminar
  2. Se nos podemos orgulhar de termos um património cultural bastante rico, muito se deve ao Fado! Aplaudo de pé!!
    Bjs.

    ResponderEliminar