05/02/2011

E o vosso nariz?

Tinha vinte e oito anos e, até então, sempre considerara o meu nariz se não propriamente belo, pelo menos muito decente, como todas as outras partes da minha pessoa. Por isso me tinha sido fácil admitir e afirmar aquilo que, habitualmente, admitem e afirmam todos os que não tiveram a desventura de receber por herança um corpo disforme, ou seja, que envaidecer-se com as suas próprias feições é coisa de imbecis.

Pirandello, Luigi (2003).Um, ninguém e cem mil . Lisboa: DN, Coleção Prémio Nobel - 1934.p. 5

eu mesma*

"Avevo ventotto anni e sempre fin allora ritenuto il mio naso, se non proprio bello, almeno molto decente, come insieme tutte le altre parti della mia persona. Per cui m'era stato facile ammettere e sostenere quel che di solito ammettono e sostengono tutti coloro che non hanno avuto la sciagura di sortire un corpo deforme: che cioè sia da sciocchi invanire per le proprie fattezze."
Pirandello, Luigi (1992). Uno, nessuno e centomila.  Milano: Mondadori. p. 3


[*sim, sim, eu tenho um grande nariz...]

40 comentários:

  1. O meu é feio e torto. Se bem que... Não gosto de muita coisa de mim... Right... :|

    ResponderEliminar
  2. Wrong!

    Deverias gostar, em vez de te afundares em autocomiseração e cultivares a arte de desaparecer aos olhos humanos.


    Eu ando assim coiso, gosto de umas coisas, de outras nem tanto... alterno. :p

    ResponderEliminar
  3. Nunca o meu nariz me permitiu beijar moças que saibam a língua de Carducci. E o resto também ajuda.

    ResponderEliminar
  4. O resto também ajuda a que as raparigas que falam a língua do autor das 'Rime Sparse' lhe fujam por entre os dedos?

    ResponderEliminar
  5. Pois. E se fosse apenas por entre os dedos...

    ResponderEliminar
  6. Ora, ora, parece-me que se está a lamentar.

    ResponderEliminar
  7. O homem ibérico só faz duas coisas: ou chora, ou mama.

    ResponderEliminar
  8. Isso parece-me mais a descrição da mulher ibérica.

    ResponderEliminar
  9. Uma passagem tão rápida de Petrarca ao broche confunde-me.

    ResponderEliminar
  10. Eu estava a pensar na dependência financeira de muitas mulheres, não estendi o meu pensamento à bijutaria.

    ResponderEliminar
  11. Com este desemprego, bem podem chuchar...

    ResponderEliminar
  12. A vossa conversa é claramente a mais cómica que li hoje. :)

    O meu nariz é normal. Vou perguntar à primeira mulher que me aparecer na rua e depois comunico. :)

    ResponderEliminar
  13. Rapariga, gostas do meu nariz?

    ResponderEliminar
  14. ola boa noite...

    o meu nariz de pinoquio entende que essas palavras sairam de um sitio que deveria estar adormecido... sabes nenhum nariz é feio... tudo depende dos olhos que os veem...

    e se esse olhos esperam que a maquilhagem va mostrar o nariz de uma outra forma... esquece

    ResponderEliminar
  15. Panurgo:
    Se é desse nariz de sátiro que falais, julgo que vos favorecerá, tem um quê de tocado pelo vinho e já se sabe que o bafo alcoólico desencoraja até as raparigas mais afoitas.

    ResponderEliminar
  16. Kenny:
    Olha que a conversa não tem nada de cómica, é toda ela muito séria, muito sisuda, como o nariz do meu interlocutor. ;)

    ResponderEliminar
  17. Ruizinho, babe, o teu nariz não viu que as palavras saíram de Pirandello. :D

    ResponderEliminar
  18. Panurgo:
    Faltou ali um 'não', 'julgo que não vos favorecerá'.


    (de repente senti-me o revisor da 'História do cerco de Lisboa?)

    ResponderEliminar
  19. Rapariga,

    Fala de Saramago... perdi o interesse no seu nariz.

    ResponderEliminar
  20. Perdeu o interesse no meu nariz?
    Se é isso, assim espero, é um nariz muito desinteressante, nem na vida alheia se mete.

    Se é de Saramago que quer falar, vou já ali pegar no Memorial e leio-lho até me mandar calar (ou adormecer!).

    ResponderEliminar
  21. Naaa... estou com o meu querido Henry.

    ResponderEliminar
  22. Esclareça a minha ignorância, Henry quem?

    ResponderEliminar
  23. Que me lembre, não li nada dele.
    Lá chegarei, se o vento estiver de feição.

    ResponderEliminar
  24. Boa viagem. (podes ler um bocado no meu lago =P)

    ResponderEliminar
  25. O meu nariz é normal, desde de que não esteja frio :P

    ResponderEliminar
  26. O meu é como o resto de mim: perfeito...lol

    Mas olha que tem desvantagens ser assim:)

    ResponderEliminar
  27. gauthma:
    O meu fica vermelho com o frio e abatatado quando choro e branco com o vento e enoooooooooorme quando minto. ;)

    ResponderEliminar
  28. M.:
    Pobre Cyrano, se sabe isto, morre outra vez (de desgosto). :P

    ResponderEliminar
  29. ola bom dia :

    Pirandello foi quem escreveu... quem as colocou ai foste tu... e ligas-te um sentimento a elas por algum motivo que so a ti diz respeito..
    uma coisa é certa o teu nariz até é bem catita...
    e depois como um sabio me disse num outro dia... não ha mulheres feias, nós homens é que bebemos pouco...

    ResponderEliminar
  30. O motivo não era mais do que a partilha e só depois de muito procurar uma imagem adequada é que me apercebi que a minha caía lá muito bem. lol


    ahahahah
    Gostei do deprimente pensamento final. :D

    ResponderEliminar
  31. Eu pessoalmente estou sempre a meter o nariz onde não é chamado.

    ResponderEliminar
  32. Eu não consigo separar o meu nariz do resto,vejo-me na totalidade...Assim como um todo!Quando estou constipada fica um bocado para o vermelho e ganha lá dentro umas viscosidades,mas penso que isso acontece com todo o mundo (ou será característica dos pobres)?

    ResponderEliminar