09/12/2010

(In)quietude

Quietude_by_UmaRaparigaSimples

16 comentários:

  1. eu gosto do silêncio da natureza de vez em quando

    mas gosto ainda mais dos barulhos da natureza... basta o som do mar encrespado ...

    ResponderEliminar
  2. Esta fotografia foi tirada na praia da Figueira, num dia de temporal incrível.
    O vento era tanto que não conseguia tirar fotos focadas e o mar rugia de forma assustadora!
    Foi lindo. :)

    ResponderEliminar
  3. nada como refletir perante o mar...

    oh mar salgado mar
    quantas vezes na tristesa te procurei
    sempre escutas
    choras a meu lado
    sempre aconcelhas
    tua ausencia nunca esteve presente
    oh mar salgado mar

    RSousa

    ResponderEliminar
  4. Muito boa a fotografia. O enquadramento, a textura... faz lembrar uma paisagem surrealista. Uma grande fotografia.

    ResponderEliminar
  5. RSousa:

    Lembras-te ou outro mar salgado.

    "Oh mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal"

    :)

    ResponderEliminar
  6. Daniel Antunes:

    Obrigada. :)
    Quando a vi no PC percebi que era mais bonita do que o que me pareceu à primeira vista e nem foi preciso mudar-lhe muito a cor.

    ResponderEliminar
  7. É engraçado, ontem estive num café a discutir a acção 'ouvir o silêncio'. Uma das propriedades do silêncio não é exactamente não ser audível? :-)

    A fotografia está excelente!!

    ResponderEliminar
  8. esse é da minha autoria... linda...

    o outro é do pessoa ... quem sou eu para idoniar tal obra

    ResponderEliminar
  9. esse é da minha autoria... linda...

    o outro é do pessoa ... quem sou eu para idoniar tal obra

    ResponderEliminar
  10. Estranho. A foto remeteu-me para o Paris-Texas...

    O silêncio é muito mal apreciado. Difícil de encontrar. E quando existe as pessoas assustam-se...

    ResponderEliminar
  11. Rui Sousa:
    Eu sei que o que escreveste é teu e aquele de que me lembrei está incluído na 'Mensagem', do Fernando Pessoa.
    Eu apenas escrevi que ao ler o teu me lembrei do outro, o pensamento em teia tem destas coisas.

    ResponderEliminar
  12. Kenny:
    O silêncio será a ausência de som.
    Será?
    Será que conseguimos alcançar esse total estado de não som? E o ruído do nosso pensamento? Por mais simples e imperceptível que seja não fará ele barulho?


    Quanto à foto... obrigada. :)

    ResponderEliminar
  13. M.:
    Dei-me conta, até por experiência pessoal, que o falar constante acontece quando não se sabe estar em silêncio. Proferem-se filas de palavras vazias e ruidosas o bastante para afastar o bicho papão do silêncio.

    Eu gosto tanto de estar em silêncio... :)

    ResponderEliminar
  14. Kenny:
    Aquela foto foi trabalhada no Picasa. ;)

    ResponderEliminar
  15. Não, estamos todos inquietos... E quando tal sentimento ou sensação (não sei bem o que é...) desaparecer de nós, será o fim. Porque teimo em não me acabar, alimento fervorosamente a inquietudo como atitude de vida. Gostei do seu blogue, vou ficar por aqui. Beijo.

    ResponderEliminar
  16. :)
    Seja muito bem-vindo, José, sinta-se em casa.

    ResponderEliminar