02/08/2010

Nunca deixes nada por dizer...

Nunca deixes nada por fazer.
Nunca deixes nada por dizer.
Por dizer...

 Words_by_LittleRedRidingHoody


As palavras agarram-se a nós, prendem-se, multiplicam-se em quantidades ditas industriais; preenchem silêncios incómodos; povoam o espaço de circunstância; teorizam o tempo, a moda, a política, o futebol; estão sempre certas (as nossas pelo menos); cuidam que podem compor, organizar, dominar o nosso mundo e que, feitas as contas, fizeram um trabalho impecável e bastaram para que não restassem equívocos.

Mas as palavras são também frágeis, tímidas e sensíveis, escondem-se, ocultam-se, disfarçam-se.

Quando parece que tudo foi dito, o mais importante ficou por dizer. Substituem-se as palavras por gestos, encolher de ombros, sorrisos, lágrimas e palavras!

Palavras pré-escolhidas em discursos ensaiados, vazias de sentido, gastas e sem cor pelo muito que estavam preparadas e separadas para aquelas ocasiões. São politicamente correctas, tranquilizam quem as ouve, mas não são sinceras, não são sentidas.

E o coração enche-se das palavras que a boca não disse, não quis dizer, achou que não podia dizer, não pôde dizer.

E os assuntos foram falados, debatidos, racionalizados, expostos segundo uma lógica irrefutável, num exercício de retórica admirável mas pálido, oco, cansado.

E as palavras esconderam palavras, vestiram palavras, disfarçaram palavras, calaram palavras e sentimentos.




Tantas palavras para esconder o facto de eu nunca te ter dito "gosto de ti"...

3 comentários:

  1. "Tantas palavras para esconder o facto de eu nunca te ter dito "gosto de ti"...
    These shouldn't be the smaller words, but the bigger ones. Another chance to say, what you didn't said.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso até tenho uma coisa para te dizer.

    ResponderEliminar
  3. Arrependemo-nos mais do que não dizemos do que aquilo que dizemos...

    ResponderEliminar